quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

2° dia de viagem - Santana do Livramento a Azul ARG


La Posta del Viageiro em Moto

Este de Camisa Azul é o Guilhermo


Casal de Curitiba
27/12/2011

Amigos, estamos postando o Segundo dia hoje porque chegamos tarde e estávamos muito cansados, devido ao ocorrido. Acordamos umas 5:30 pra arrumar as bagagens na moto e tomar um café, antecipadamente agendado com o dono do hotel. O Edson comprou pão pie nesse horário não teria. Saímos do hotel e fomos carimbar o passaporte do Henrique, que havia esquecido no dia anterior. Seguimos para Paysandu. Passamos pela Aduana Uruguaya e pasmem, o cara simplesmente perguntou: Todos carimbaram o passaporte e tem carta verde? Todos dissemos sim e passamos batidos. Fica ai o alerta, qualquer um rouba um carro ou uma moto no Brasil e entra ali sem qualquer problema, sem ao menos ter que mostrar qualquer documento. Impressionante.
Seguindo viagem, paramos em Tacuarembó e paramos para abastecer pois não teríamos mais posto até Paysandu onde faríamos a saída para a Argentina. Alguns kilômetros depois do abastecimento tem um trecho em asfaltamento e recém os trabalhadores haviam colocado britas e estavam bem soltas. O Edson e o Henrique passaram primeiro e depois o Nico e o Luiz. O Luiz perdeu o controle da moto, pegou a brita solta na beira da estrada e capotou com a moto. Eu que vinha logo atraz só vi uma poeira e o Nico também tombando, pois ele se assustou quando o Luiz passou desgovernado por ele e também perdeu o controle da moto. Fiquei assustado no momento e também tive dificuldade em parar a moto pois queria parar rapidamente para socorrer o Nico pois eu não tinha visto o ocorrido com o Luiz, o Carlos que vinha mais atrás também teve dificulade de parar. Só quando cheguei perto do Nico que vi o Luiz na lateral da estrada já se levantando. O Nico ficou deitado e um casal, que a esposa era médica, já estavam nos ajudando. Foi muito ruim ver tudo isso. Por vários motivos, incluindo os trabalhadores que liberaram a estrada daquele jeito sem antes compactar as britas. Graças a Deus, todos estavam bem. O Luiz só começou a sentir as dores depois que esfriou. O Nico caiu de ombro e teve problemas na clavícula. Teve outro casal que nos ajudou muito pois ligaram para o hospital na cidade onde havíamos abastecido e deixaram tudo encaminhado pois a nora deles era enfermeira lá e conheciam também a enfermeira chefe. Foram nossos anjos da guarda. Isso sempre acontece. Quando menos esperamos recebemos ajuda de todo lado. Ficamos ali até tudo de acalmar e reunimos o pessoal para decidirmos a viagem. Então eu e o Carlos seguimos para Azul e o Edson e Henrique ficaram para agilizar o necessário com o Nico e o Luiz. Soube que tiveram uma ajuda muito importante do BR Cojack. Nesses momento é que sabemos o quanto vale este círculo que formamos.
Seguimos, eu e o Carlos para Paysandu, fizemos a Aduana, que são juntas, Uruguaya e Argentina. Conhecemos um casal muito legal de Curitiba, o Bassetto e a Nany. Tiramos foto com eles. Seguimos até pegar a 14, famosa ruta dos “POLICIAIS” corruptos. Fomos logo parados assim que entramos na 14. Disseram que tínhamos excedido a velocidade e que tínhamos que pagar ali 350 pesos e não podiam nos dar nenhum comprovante. Ai o tempo fechou. Reclamei que isso sempre acontece com os Brasileiros que passam ali, que já havíamos reclamado sobre isso com o governo Argentino e bla bla bla. Que não tínhamos dinheiro, somente cartão e que poderíamos levar a multa para pagar no banco. Por fim, pegamos as coisas na moto e fui dar a chave para o policial dizendo que ia pegar uma carona pra ir até o consulado resolver o problema e que eles ficariam responsáveis pelas motos. Não deu outra, voltaram atrás e disseram: podem seguir viagem, antes anotaram os dados da moto e da CNH e liberaram a gente. Seguimos viagem, paramos para comer e abastecer e conhecemos mais uma figura muito gente fina, o Guilhermo (www.estambulenmoto.blogspot.com/ e www.moscuenmoto.blogspot.com) um argentino que já viajou pelo Brasil e tem ido viajar pela Europa também, mostrou fotos etc. Tínhamos pedido um lanche no posto, quando fomos pagar disseram que já estava pago pelo Guilhermo, muito gente boa. Daí seguimos para Azul e já estamos “azul” de cansaço kkk. Chegamos e fomos achar um hotel, conseguimos um até bonzinho e quando fomos sair pela manhã, conhecemos outro camarada chamado Fito, que nos indicou uma agência de turismo de um amigo no Ushuaia que poderá ser útil para encontrarmos hotel e outras coisas que necessitarmos, como passeios, etc... Saindo de Azul tentamos novamente conhecer o Jorge, de lá posta Del viajero em moto mas ele já tinha saído para trabalhar e então conhecemos o Carlos de BH que está com uma XRE300 também indo para o Ushuaia. Deixamos um adesivo com ele e seguimos pra Rio Colorado.

3 comentários:

  1. Só depois de 48hs é que deram notícias, eu sabia que algo estava errado e a Zenita dizendo que estavam com problema na internet!!!!

    ResponderExcluir
  2. Renato,

    Você não o conheceu mas tem que ficar registrado a ajuda do Cardozo, amigo do Kojak, que mora em Tacuarembo, e que deu a maior força para nós todos.
    Edson

    ResponderExcluir
  3. QUE PEDAÇOS RUINS DE ESTRADA QUE ENCONTRARAM PELA FRENTE!!! CUIDADO!!! VÃO COM CALMA ABRAÇÕS.

    ResponderExcluir